PORTAL DE EVENTOS DO IFSP ITAPETININGA, III CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO IFSP ITAPETININGA - ISSN 2318-311X

Tamanho da fonte: 
O PROJETO ALFA TUNING AMÉRICA LATINA E A UNIVERSIDADE BRASILEIRA: NOVOS RUMOS OU CON(DI)VERGÊNCIA AO MODELO EUROPEU ?
Jurany Leite Rueda, Paulo Gomes Lima

Última alteração: 2015-06-12

Resumo


Introdução: Como explanam Leite e Genro (2012), existe uma quantidade significativa de agências internacionais que atuam influenciando o processo das políticas educacionais na América Latina, dos quais podemos destacar: UNESCO, o Banco Mundial, a ação da União Europeia e a formação da área comum de Educação Superior (Alcue ou Uealc). A internacionalização de modelos educacionais como Projeto Alfa Tuning dentro do Tratado de Bolonha que, como modelo supranacional, está se expandindo e alcançou a América Latina. O Objetivo deste trabalho em andamento é compreender as influências que os organismos internacionais exercem na política educacional brasileira, especificamente no Ensino Superior, ou seja, os pontos e/ou contrapontos desse processo. Utilizar-se-á como Metodologia: o ciclo de políticas de Ball: contexto de influência, contexto da produção do texto e contexto da prática. Essa abordagem situa-se num referencial analítico favorável para a análise de programas e políticas. Resultados: Considerando-se que na América latina, o surgimento do Projeto se deu mediante discussões dos representantes dos ministérios da educação dos países latino-americanos, baseando-se o projeto em um modelo europeu designado ALFA (Ferreira, 2014). Assim, temos como hipótese que se o Projeto Alfa Tuning América Latina, seguir a mesma métrica européia, de forma particular no Brasil, centrado em competências e habilidades, se configurará como um encadeador de formação de mão de obra qualificada para um mercado, fragilizando saberes e fazeres não compreendidos em seu âmbito. Conclusão: A ampliação de pesquisas sobre a influência internacional no Ensino Superior no Brasil, bem como sobre a inserção do Projeto Alfa Tuning nas universidades da América Latina evidencia o desdobramento da lógica do capital que coloca em xeque o sujeito a ser formado, para uma tipologia de sociedade conveniente. Este estudo, por meio de recorrências, possibilitará não somente uma reflexão, mas a explicitação de anuências, resistências e encaminhamentos de referenciais para se pensar a universidade brasileira numa outra lógica, em que os sujeitos não sejam objetos da perversidade velada do sociometabolismo do capital.

 

 


Palavras-chave


Alfa Tuning America Latina; Agências Internacionais; Ensino Superior

Texto completo: PDF